sexta-feira, 28 de março de 2014

Disse vem e eu fui

Disse me "Vem" e eu fui. Fui, não porque me disse para ir, fui porque quisesse ir. Não porque amava, mas sentia uma carinho, uma vontade, um tesão!
Fui e voltei, me perdi e senti. Não pensei no amanhã e amanhã a gente nem pensou!
Amanhã? Amanhã só sorri, sem mais, sem "porquês", sem "mas"... Talvez um " quero mais"... Delicioso, quente, rápido, mais...mais...
Relaxa! Descansa... Amanhã talvez eu diga "vem"... Mas só talvez!
Quem sabe outro diga vem, quem sabe outra diga vem... Quem sabe nem vamos... Ou talvez nem ficamos ou ficamos?

sexta-feira, 21 de março de 2014

Flaws

** Não que a música reflita a minha real atual situação... But ela é tão linda que merece ser publicada. :)

When all of your flaws and all of my flaws
Are laid out one by one
A wonderful part of the mess that we made
We pick ourselves undone
All of your flaws and all of my flaws
They lie there hand in hand
Ones we've inherited, ones that we learned
They pass from man to man
There's a hole in my soul
I can't fill it I can't fill it
There's a hole in my soul
Can you fill it? Can you fill it?
You have always worn your flaws upon your sleeve
And I have always buried them deep beneath the ground
Dig them up; let's finish what we've started
Dig them up, so nothing's left unturned
All of your flaws and all of my flaws,
When they have been exhumed
We'll see that we need them to be who we are
Without them we'd be doomed
There's a hole in my soul
I can't fill it I can't fill it
There's a hole in my soul
Can you fill it? Can you fill it?
You have always worn your flaws upon your sleeve
And I have always buried them deep beneath the ground
Dig them up; let's finish what we've started
Dig them up, so nothing's left unturned
When all of your flaws
And all of my flaws are counted
When all of your flaws
And all of my flaws are counted
You have always worn your flaws upon your sleeve
And I have always buried them deep beneath the ground
Dig them up. Let's finish what we've started
Dig them up. So nothing's left unturned
All of your flaws and all of my flaws
Are laid out one by one
Look at the wonderful mess that we made
We pick ourselves undone
(Flaws - Bastille)

sexta-feira, 7 de março de 2014

Batom Vermelho

Apesar de admirar as mulheres que saem por aí de cara limpa, confesso: eu acho batom do caralho, mesmo quando longe dele. Ao contrário do que os superficiais pensam, o batom, seja ele vermelho ou rosa, marca muito mais do que colarinhos, pescoços e cuecas. Minhas lembranças mais tesônica, por exemplo, estão totalmente sujas de batom. Carrego manchas de batom também no coração e, acreditem se quiser, no contorno da alma. Quando fecho os olhos e, em busca de alegrias, volto ao passado, logo dou de cara com a boca daquela guria que, quando partiu, deixou rastros de batom em meu corpo todo. O batom, além da boca da mulher, é capaz de de marcar a mente do homem. E quem não gosta de uma mulher marcante? (Ricardo Coiro)


Aquele dia!

Então aquele dia que você acorda pensando em tudo que deu errado... Tudo que poder dar errado.
Olha para o céu e sente fé...
Que tudo vai dar certo, que tudo é mais que o que você imagina...
Que tudo é simples e bom!!!