segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Eu

Eu sou a que no mundo anda perdida,
Eu sou a que na vida não tem norte,
Sou a irmã do Sonho, e desta sorte
Sou a crucificada ... a dolorida ...

Sombra de névoa ténue e esvaecida,
E que o destino amargo, triste e forte,
Impele brutalmente para a morte!
Alma de luto sempre incompreendida! ...

Sou aquela que passa e ninguém vê ...
Sou a que chamam triste sem o ser ...
Sou a que chora sem saber porquê ...

Sou talvez a visão que Alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo pra me ver
E que nunca na vida me encontrou!

(Florbela Espanca)

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

A coisa, infinito

De repente você faz uma coisa por que acha que pode ser divertido! E dessa coisa você muda um pouquinho. E essa coisa gera uma outra coisa, que você encara como uma obrigação da responsabilidade assumida por fazer essa primeira coisa... E você vai chegando no local você percebe que não é o que imaginou participa de cinco horas de atividades altamente desgastante, fisícamente, mas que te relaxa... E você se descobre... Se acha, se solta... Aprende muito mais nessas horas do que aprendeu nos ultimos anos, você se lembra de você. E então você, como diz no livro, diz "Me sinto infinito"
E de repente o mundo ficou mais bonito, o dia mais iluminado... E até aquela pessoa que você sempre vê e não olha... Aquela sua vizinha, que você sempre vê mas nunca comprimenta...Ou o porteiro do prédio, o cobrador...Enfim essas pessoas que te cercam, te parrecem mais proximas, mais pessoas, mais sentimentos...Mais você, mais eu, mais nós...
Você já se sentiu infinito?? Hoje??